201510.07
0
0

Do escritório à indústria, saúde deve ser prioridade na rotina do trabalhador.

Bater o ponto no horário certo, cumprir todas as tarefas e fazer um trabalho de qualidade. Pensa que é só com isso que você precisa se preocupar no ambiente de trabalho? É tanta demanda para dar conta que muitas pessoas sequer prestam atenção nos pequenos detalhes que podem comprometer a saúde.

Já parou para pensar, por exemplo, em quanto tempo você passa sentado no escritório? E quanto esse tempo, somado àquele no sofá, no banco do carro ou do ônibus em outros momentos, representa em um dia? Pois fique sabendo que faz mal, sim. Pode a postura estar perfeita, até, mas todo o peso do corpo acaba sustentado somente pela coluna e pela bacia. Quando em pé, esse peso é distribuído também pelas pernas, o que dá uma ajudinha. Moral da história: sentado, a pressão na lombar, parte inferior das suas costas, aumenta em até 40%.

“Quem trabalha em escritório pode sofrer principalmente de lombalgia, por ficar muito tempo sentado. Existe ainda o problema da tensão cervical (localizada no pescoço) decorrente de um mau posicionamento do monitor”, afirma o fisioterapeuta Leonardo Azevedo. “Além disso, o ato de digitar ou mexer muito tempo no mouse pode levar a uma tendinite. Por isso, é necessário que sejam feitas pausas constantes para recuperação da musculatura”, completa.
A dica pode parecer simples, mas é preciso reforçar: pelo menos dois intervalos por turno são necessários.

Levantar da cadeira, fazer alongamentos principalmente na cervical e nos braços, mesmo que por menos de cinco minutos são algumas das atividades que já aliviam. Quando sentado, mantenha-se com a postura ereta e prefira cadeiras com apoio para o braço. Para não provocar dores no pescoço, mantenha o monitor do computador alinhado à altura da cabeça.
Quem atenta para a saúde, cria ainda a própria forma de se cuidar, tentando adequar as medidas necessárias à rotina. “Só fico no computador durante o expediente. Em casa evito e tento relaxar, principalmente pela questão da vista”, diz Renato Alves, analista de atendimento e seguidor do NE10 no Periscope. Por causa da constante exposição ao computador, Renato conta que precisou aumentar o grau do óculos para evitar maiores problemas.

O incômodo nos olhos, no entanto, não é exclusividade do analista. “Termino o dia com os olhos vermelhos e sei que é ocasionado pelo trabalho. Às vezes fico tão concentrado que acabo esquecendo de piscar. A médica já me disse que tenho que me policiar e tentar piscar mais vezes para lubrificar a íris”, conta o designer gráfico Jef Luka, outro colaborador assíduo do portal.

E além dos problemas ergonômicos, causados por essa nossa interação com as máquinas, empregados de todos os setores ainda estão expostos aos riscos físicos, como ruídos altos que podem comprometer a audição, químicos, em caso de uso de substâncias tóxicas, e psicológicos, como depressão e síndrome do pânico.

“Tomamos como exemplo um vigilante, já que o nível de violência no País é alto. Ele está exposto a ser assaltado ou ferido, por isso pode sofrer com problemas psicológicos. Assim, é necessário que seja afastado para que seja tratado. E, mesmo nesse caso, ele tem direito ao benefício do INSS”, explicou o médico do trabalho Fernando Lucena.

Cuidados específicos para cada função

É preciso ainda lembrar que, apesar de algumas indicações médicas estarem destinadas a muitos trabalhadores, outros devem ter atenção a determinadas atividades exercidas. Empregados domésticos, por exemplo, devem estar atentos ao uso de luvas quando precisam usar produtos químicos. Pessoas que trabalham expostas ao sol, como aqueles em lavouras, correm o risco de desenvolver câncer de pele. Na indústria, funcionários que trabalham em lugares de alta temperatura correm o risco de desenvolver a perda do cristalino, levando ao comprometimento da visão.

Ginástica laboral nas empresas

Para melhorar produtividade e saúde dos funcionários, algumas empresas investem na contratação de profissionais de educação física especializados em ginástica laboral. Em Pernambuco, o Serviço Social da Indústria (Sesi) oferece esse serviço às empresas, proporcionando às pessoas a possibilidade de se exercitar no próprio ambiente laboral.

Técnico de Segurança do Trabalho da Tigre, empresa de tubos e conexões localizada em Escada, na Zona da Mata, afirma que a ginástica serve ainda como um momento de descontração, preparando os funcionários para o início da jornada. “Todos participam e fazem exercícios diferentes, relacionados a cada função que é exercida aqui dentro. O exercício é feito três vezes na semana, por mais ou menos quinze minutos. O importante é que evita lesão e faz com que eles comecem o dia mais dispostos, alongados e preparados, evitando possíveis lesões”, explicou.

Fonte: NE10, por Marina Padilha, 06.10.2015

Os artigos reproduzidos neste clipping de notícias são, tanto no conteúdo quanto na forma, de inteira responsabilidade de seus autores. Não traduzem, por isso mesmo, a opinião legal de Granadeiro Guimarães Advogados.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *