08
dezembro
2015
Clipping, Mídia,

Delegar motiva funcionário e melhora rendimento do trabalho; veja dicas.

Se você quer vencer a partida, passe a bola. Quem tenta fazer todo o trabalho sozinho corre o risco de sofrer um placar de 7×1.

Chefes que se sobrecarregam saem perdendo porque desperdiçam energia em tarefas de pouca importância, quando deveriam gastá-la em projetos maiores, com potencial de projeção na empresa.

E, assim como jogadores que tentam golear sozinhos irritam o resto do time, gestores centralizadores desmotivam a equipe. O funcionário entende que o chefe não confia em sua competência, e se sente subestimado.
“O centralizador tem que aprender que existe uma zona de risco quando ele delega. A questão é diminuí-la”, diz Ronaldo Schwartzkopf, diretor da consultoria de RH De Bernt Entschev.

Conhecer os pontos fortes e fracos de cada membro da equipe e acompanhar a execução da tarefa são alguns conselhos de Schwartzkopf para não perder o controle da situação e ser pego de surpresa no final.

No outro extremo, há aqueles que delegam muito e mal. Nesse caso, o funcionário é abandonado sobrecarregado, afirma Rafael Souto, diretor da consultoria Produtive.

Veja abaixo recomendações de especialistas para delegar melhor e como evitar ser um centralizador:

BOLA CHEIA

1. Priorize
Assuma a responsabilidade por atividades e projetos mais importantes para a empresa, como aqueles que têm um peso grande no balanço final. Nesses, há pouca tolerância a erros. O resto pode ser delegado.

2. Trace o perfil dos funcionários
Além dos critérios de experiência profissional e confiança, identifique o ponto mais forte de cada membro da equipe -quem é o mais comunicativo, o mais detalhista, o mais estrategista? A partir desse mapeamento, o risco de passar a bola para a pessoa errada é menor, afirma Ronaldo Schwartzkopf, diretor da consultoria De Bernt Entschev.

3. Seja claro e motivador
Delegar é um método simples de dar um feedback sobre o desempenho do funcionário. Ao explicar a tarefa, diga por que escolheu a pessoa -quais qualidades vê nela, seu potencial. Seja claro ao falar dos resultados que você espera e pergunte como a pessoa se sente diante dessa nova responsabilidade, diz Ribeiro, da Robert Half.

4. Crie uma rede de apoio
Um funcionário pode não se sentir confortável em abordar outras pessoas da empresa necessárias para o projeto ir adiante. “A hierarquia às vezes é uma barreira”, diz Schwartzkopf. Por isso, indique claramente com quais pessoas ele pode conversar e faça a ponte entre os envolvidos.

5. Supervisione
Para ter segurança de que o projeto está caminhando em direção ao resultado esperado, marque reuniões periódicas com o funcionário para saber o que está sendo feito e se ele precisa de ajuda. No início, podem ser feitas uma vez por semana e, conforme você perceber que o projeto engatou, duas vezes por mês.

BOLA MURCHA

1. Centralizar
Assumir a responsabilidade por todas as tarefas é sinal de insegurança e falta de confiança na equipe, diz Mariana Scheddin, sócia-diretora da consultoria Havik. O resultado é desmotivação geral: do chefe, com a alta carga de trabalho, e dos funcionários, que se sentem menosprezados.

2. Asfixiar
Ao passar a tarefa, não diga ao subordinado como você quer que ela seja feita, mas o resultado que você espera. Também não cobre atualizações sobre o andamento do projeto o tempo inteiro. Para sentir confiança e se motivar, o responsável pela atividade deve ter autonomia para tocá-la. Se sentir que algo pode estar errado, converse.

3. Passar para a frente
Delegar apenas as atividades que você não quer fazer, por serem trabalhosas ou de pouca importância, prejudica a sua imagem e desagrada a equipe. “Isso é muito grave. Para desenvolver alguém, você precisa dar tanto tarefas simples quanto complexas”, diz Daniela Ribeiro, gerente sênior de divisão da consultoria Robert Half.

4. Não ouvir
Ao explicar a atividade ao funcionário, diga o que você espera dele e pergunte se ele se sente confortável em assumir aquela responsabilidade. Dificilmente ele dirá que não, então preste atenção se você nota insegurança na resposta. Se perceber que pode existir um problema, insista no questionamento e combine um acompanhamento, afirma Rafael Souto, diretor da consultoria Produtive. Delegar tarefas para pessoas sobrecarregadas ou despreparadas prejudica o profissional, você e a empresa.

5. Roubar os louros
Creditar a si o sucesso do projeto, em detrimento daquele a quem você delegou, não só desmotiva como cria hostilidade. O efeito se estende ao resto da equipe que, ao perceber o que aconteceu, dificilmente terá um bom desempenho em novas atividades que você repassar.

Fonte: Folha de São Paulo, por Fernanda Perrin, 07.12.2015

Os artigos reproduzidos neste clipping de notícias são, tanto no conteúdo quanto na forma, de inteira responsabilidade de seus autores. Não traduzem, por isso mesmo, a opinião legal de Granadeiro Guimarães Advogados.

Compartilhe
Comentários

Calendário

dezembro 2015
S T Q Q S S D
« nov   jan »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Acompanhe no facebook