30
julho
2019
Clipping, Notícias,

Chefe que faz bullying coloca em risco a segurança no trabalho.

Um novo estudo da Portland State University sugere que os chefes que fazem bullying e são intimidadores não são apenas ruins para o moral e o bem-estar dos funcionários — eles também podem ser prejudiciais à segurança no trabalho.

A professora associada de psicologia organizacional industrial na Faculdade de Artes Liberais e Ciências da PSU, Liu-Qin Yang e seus coautores, pesquisaram pilotos de companhias aéreas e técnicos de produção e descobriram que o comportamento dos funcionários em relação à segurança pode piorar quando eles são ameaçados e deprecidos perante um grupo de trabalho. O estudo foi publicado no “Journal of Applied Psychology”.

Liu-Qin afirma que os comportamentos dos chefes podem fortalecer ou enfraquecer o senso de pertencer dos empregados. O tratamento inadequado de um gestor pode fazer com que eles sintam que não são valorizados pelo grupo. Como resultado, podem se tornar mais egocêntricos, o que pode ocasionalmente levá-los a esquecer de cumprir regras de segurança ou a negligenciar oportunidades de promover um ambiente de trabalho mais seguro.

A pesquisadora diz que esse tipo de comportamento apareceu mais associado a funcionários com dúvidas sobre sua posição social no grupo de trabalho.“Quando as pessoas têm menos certeza sobre seus pontos fortes e fracos e seu status dentro de um grupo, elas se tornam mais sensíveis”, afirma. “Também são mais propensas a responder negativamente ao bullying dos chefes.”

Segundo Yang, a segurança no local de trabalho é um problema grave — ainda mais em um ambiente em que a falha de um funcionário em agir de maneira segura pode criar circunstâncias em que outras pessoas podem se ferir. “As organizações precisam entender como é importante reduzir o mau comportamento dos líderes e criar dinâmicas de equipe mais positivas, para que haja menos consequências negativas de segurança para os funcionários ou clientes”, afirma. Para a pesquisadora, é muito importante gerenciar o comportamento do líder e apoiar os funcionários vitimizados.

Um forma de evitar esse tipo de situação, conforme o estudo, é implementar programas de treinamento para melhorar as habilidades dos líderes na interação com os funcionários, como a maneira de dar feedback ou pedir disciplina sem que essas ações pareçam ofensivas ou ameaçadoras.

Outra medida preventiva seria promover um ambiente de trabalho engajado que fortaleça os laços sociais entre os funcionários e que crie um amortecedor contra as consequências negativas dos maus comportamentos dos chefes.

Por último, os autores sugerem adotar processos transparentes de avaliação de desempenho para que os funcionários fiquem menos incertos sobre o seu status social no grupo de trabalho.

Os co-autores do estudo foram os pesquisadores das universidades chinesas, Xiaoming Zheng, de Tsinghua, Xin Liu, da Renming, Chang-qin Lu, da Universidade de Pequim, além de John Schaubroeck, da Universidade de Michigan.

Fonte: Valor Econômico, por Stela Campos, 30.07.2019

Os artigos reproduzidos neste clipping de notícias são, tanto no conteúdo quanto na forma, de inteira responsabilidade de seus autores. Não traduzem, por isso mesmo, a opinião legal de Granadeiro Guimarães Advogados.

Compartilhe
Comentários

Calendário

julho 2019
S T Q Q S S D
« jun   ago »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Acompanhe no facebook