02
outubro
2018
Clipping, Notícias,

Falta de talentos digitais faz empresas perderem competitividade.

A falta de profissionais com habilidades digitais está atrasando processos de transformação e causando perda de vantagens competitivas nas empresas, segundo um levantamento da consultoria Capgemini em parceria com o LinkedIn. Na opinião dos trabalhadores, no entanto, as companhias não oferecem treinamentos suficientes para acompanhar as mudanças da área.

A pesquisa foi realizada com mais de 750 funcionários e 500 executivos de empresas em nove mercados — França, Alemanha, Índia, Itália, Holanda, Espanha, Suécia, Reino Unido e EUA. Entre os executivos entrevistados, 54% acham que o processo de transformação digital da sua empresa está atrasado por falta de profissionais com as habilidades necessárias, e que isso já resultou em perda de vantagens competitivas.

“Para que essa transformação aconteça é necessário que a mentalidade de toda a organização mude e que exista o apoio dos níveis mais altos da empresa”, diz  Maurizio Mondani, CEO da Capgemini no Brasil. Para ele, é preciso equilibrar o frescor do pensamento do jovem e o conhecimento daqueles que entendem o passado. “Essa mistura é que vai fazer dar certo.”

A preocupação com o assunto não se restringe às empresas. Quase um terço (29%) dos profissionais acredita que suas habilidades deixarão de ser relevantes nos próximos dois anos e 38% acham que isso acontecerá em até cinco anos. Entre os mais jovens e entre aqueles que já trabalham na área digital, esse medo é ainda maior.

Segundo o levantamento, os treinamentos oferecidos pelas próprias empresas não estão dando conta do recado. Mais da metade dos profissionais da área digital consideram que os programas não os ajudam a adquirir novas habilidades e que as companhias não oferecem tempo e recursos suficientes para que os profissionais se atualizem. A opinião de 45% é que os treinamentos ofertados são “inúteis” e “chatos”.

A maioria desses profissionais (55%) vai atrás de atualização por conta própria e considera trocar de emprego porque sente que suas habilidades digitais estão estagnadas na empresa atual. Mais da metade (58%) também pretende buscar organizações que oferecem ambientes melhores para desenvolver suas habilidades.

Não são só habilidades estritamente técnicas que as companhias têm dificuldade de encontrar no mercado. Enquanto 51% das empresas dizem ter problemas para contratar profissionais com essas habilidades digitais — cibersegurançacomputação em nuvem e análise de dados estão entre as mais buscadas — 59% veem mais dificuldade em contratar o que chamam de “soft skills” digitais. Entre elas as mais procuradas são abordagem centrada no cliente, “paixão por aprender”, colaboração e capacidade de tomar decisões guiadas por dados.

Funções ligadas à coleta e análise de dados devem ganhar espaço dentro das empresas nos próximos anos, segundo a pesquisa. Abaixo, a lista completa:

Fonte: Valor Econômico, por Letícia Arcoverde e Stela Campos, 02.10.2018

Os artigos reproduzidos neste clipping de notícias são, tanto no conteúdo quanto na forma, de inteira responsabilidade de seus autores. Não traduzem, por isso mesmo, a opinião legal de Granadeiro Guimarães Advogados.

Compartilhe
Comentários

Calendário

outubro 2018
S T Q Q S S D
« set   nov »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Acompanhe no facebook